A pandemia COVID-19

Atualizado: 2 de mar. de 2021

Não será surpresa para ninguém que esta é, atualmente, uma das maiores preocupações dos/as Agentes "Eu Participo".


Quando começámos o ano de 2020 ninguém esperava que viesse a acontecer uma tamanha transformação na nossa vida. Em março, todos os projetos foram interrompidos, viemos para casa e procurámos descobrir novas formas de estarmos juntos/as e de nos adaptarmos a esta forma de vida que nos obrigava a estar confinados/as. Este post pretende dar uma ideia daquilo que os/as Agentes Eu Participo pensam e comentam sobre a COVID-19...


Em março de 2020 todas as outras preocupações continuavam - racismo, o ambiente, as alterações climáticas, a discriminação, crianças sem escola, guerras, ... -, mas este vírus passou a ser o TOP das nossas conversas.


Em abril, surge o primeiro artigo "Eu Participo" no Jornal do Pinhal Novo sobre o tema, intitulado "A minha primeira pandemia", escrito pela Sara Camolas do Clube "Eu Participo" (EB Hermenegildo Capelo). E em maio, a Alice do 4º ano da EB António Matos Fortuna, escreve o seu primeiro artigo "Eu Participo", intitulado "A pandemia e as crianças" apresentando-nos uma outra perspetiva.


A PANDEMIA artigos A tua voz
.pdf
Download PDF • 930KB

"Até onde este vírus nos leva? O que vai acontecer a seguir? Como é que vamos ficar? Será que acontecerá outra vez? (...) Acho que daqui para a frente a vida de todos nós vai mudar (...) Vamos ter de mudar os nossos comportamentos, ou seja, ser menos consumistas, mais solidários uns com os outros, amigos do ambiente." (Sara Camolas)

"Crianças e jovens, como já sabem, nesta altura temos mesmo de ficar em casa. Sei que não podem ver a vossa família, mas até estão a prevenir o contágio! Podem ter a certeza de que isto é mau, eu sei, mas já repararam que quando a pandemia acabar, podem fazer coisas divertidas ..." (Alice Paiva)


Em setembro 2020, voltámos entusiasmados/as para a escola. Retomámos os projetos, mas sempre na expetativa de que poderíamos voltar a estar confinados/as em casa. A segurança nas escolas foi total. O respeito pelas regras também. Todos/as tínhamos consciência de que a nossa ação era importante para defendermos o direito de saúde, proteção e de vida de todos/as. Voltámos para casa em janeiro de 2021 e algumas das preocupações voltaram a acentuar-se.


Em fevereiro, a Raquel escreve um artigo "Cá estamos nós outra vez", publicado no Jornal do Pinhal, deixando-nos um alerta.


Raquel 19 fev
.pdf
Download PDF • 110KB

Estou muito preocupada com o que está a acontecer no Mundo e em Portugal! Nós somos o pior país por milhão de habitante com casos de COVID-19! Isto está mesmo MUITO grave! Os médicos têm de escolher quem pode e quem não pode viver, há doentes a dormir no chão porque não têm camas, há doentes que têm de ir para as escadas para conseguirem ter espaço e conseguirem respirar!
Por isso por favor fiquem em casa e cuidem-se! (Raquel Cavaco)

Começámos a falar um pouco mais sobre as nossas preocupações e impactos da COVID-19 nos direitos humanos, dos direitos dos animais e sustentabilidade do planeta. Estamos mais conscientes de que esta pandemia está também relacionada com a Crise Ambiental e Ecológica que associações ambientalistas e o movimento de jovens a nível internacional "Fridays for Future" têm vindo a alertar!


Segundo pesquisei existem alguns artigos que comprovam que com o arrasamento da biodiversidade, alguns vírus existentes nos animais selvagens podem atingir o ser humano. (...) Tenho receio de haver outra pandemia e acho que na minha geração haverá várias vezes. Eu poderei dizer, à minha futura geração, que tinha 12 anos quando vivi a primeira pandemia. E isso faz-me sentir um bocado assustada porque relembro o que está a acontecer. (Sara Camolas)

Entre partilhas, notícias, leituras e alguns filmes, este é um exemplo que aqui deixamos neste post, para saberes +










26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A guerra